Tá faltando motivação? Conheça 4 alunas que vencem barreiras para estudar teatro na Hipérion

Alery Stephanye, Laís Assunção, Beatriz Mayana e Bárbara Estefanski são diferentes de inúmeras formas, mas em três aspectos o destino resolveu uni-las: não moram em Recife, querem tornar-se atrizes de sucesso e vencem barreiras geográficas para realizar seus sonhos.

Uma vez por semana, as atrizes em formação acordam cedo, fazem muitas horas de viagem e têm gastos pesados com transporte. Tudo para assistir às aulas na Hipérion. Tudo pelo sonho. Definitivamente, “desistir” não faz parte do vocabulário dessas jovens.

Alery Stephanye, Laís Assunção, Beatriz Mayana e Bárbara Estefanski. Conheça as histórias de quatro alunas da Hipérion que vivem no interior de Pernambuco e se empenham como poucos para dar vida a seus objetivos no teatro.

Conheça os vencedores do IV Experimentart

Desafios existem para serem superados. Seguindo essa máxima, Bárbara Estefanski, Mirelly Aparecida dos Santos, Luís Costa e José Neto, Eloysa Souza e Débora Manguinho venceram o frio na barriga e realizaram trabalho que já marcou suas promissoras carreiras no teatro.

Os jovens atores e atrizes em formação compõem o grupo vencedor da quarta edição do Experimentart e foram premiados em cerimônia na Hipérion, em 22 de outubro. Eles escreveram, produziram e encenaram o esquete totalmente autoral ‘Amor’.

A produção conta a história de Laura e Afonso. Ambos estão em uma cafeteria, sentem atração um pelo outro, cruzam olhares e sorrisos. Todavia, falta-lhes coragem para fazer o contato inicial. O que fazer? Então, entra em cena o Deus Eros, que dá aquela ‘ajudinha’ para que deixem a timidez de lado e avancem em direção ao romance.  “O texto foi o grande trunfo do grupo. É leve e situa-se na esfera do pensamento, do não dito”, analisa Adilson Di Carvalho, ator, professor de teatro e consultor do grupo durante o processo. Com efeito, ‘Amor’ explora, de maneira sutil, introspecções, linguagens gestuais, contornos expressivos e emocionais.

Saiba como os alunos da Hipérion criaram seus personagens e cenas para a 25a Mostra Teatral

No teatro, é preciso ter muito jogo de cintura, improviso e criatividade. Foi tudo isso que nossos atores e atrizes em formação mostraram de sobra na 25a Mostra Teatral Hipérion, realizada em julho.

Na ocasião, os jovens do primeiro semestre de 2018 do Curso de Formação de Atores encenaram, diante de um auditório lotado, as peças Caleidoscópio: Fragmentos de Duas Histórias e Uma Vida para Contar.

Eles se dedicaram com afinco para transformar em realidade as ideias surgidas ao longo dos meses de estudo e dar vida a cenas e personagens originais.

“Os alunos criaram personagens ao longo do semestre, e a partir daí escolhemos aqueles de que mais gostamos. Depois, os jovens elaboraram diversas cenas”, conta Edson Aranha, professor da Hipérion e diretor de ambas as peças.

Tais cenas foram, por fim, organizadas por Aranha em torno das duas peças. “Foi um processo de determinação de todos, cujo resultado foi muito satisfatório. Os alunos foram ótimos”, avalia Aranha.

De criança para criança: atores mirins da Hipérion encenam peças infantis

Os atores e atrizes mirins da Hipérion são movidos a desafios e vivenciam constantemente na escola uma das experiências mais emocionantes das artes cênicas: se apresentar diante de um auditório lotado.
Assim foi com os garotos e garotas que encenaram as peças O Segredo da Arca de Trancoso (Luiz Felipe Botelho) e Como se Fora Brincadeira de Roda (Robson Teles), na ocasião da 25a Mostra Teatral Hipérion, realizada em julho.
No evento, os jovens venceram o frio na barriga e mostraram seu talento e paixão pelo teatro, em uma das raras ocasiões em que os dois textos da dramaturgia infantil foram montados por atores mirins. Frequentemente, são atores adultos que encenam peças para crianças.

 

25a Mostra Teatral Hipérion oferece oito dias de espetáculos variados

Guarde um espaço na sua agenda para a cultura. Entre 3 e 14 de julho, acontece a 25a Mostra Teatral Hipérion, que traz produções teatrais realizadas e encenadas pelos atores e atrizes em formação de nossa escola. 

A mostra foi criada em 2002 e, desde então, tornou-se tradicional evento para incentivar a experiência prática dos alunos da Hipérion e promover a cultura.

Na atual edição, são sete espetáculos em cartaz: Vivendo e Aprendendo a Jogar (Nelson Rodrigues e Caio Fernando Abreu); O Segredo da Arca de Trancoso (Luiz Felipe Botelho); Como se Fora Brincadeira de Roda (Robson Teles); Caleidoscópio: Fragmentos de Duas Histórias (Edson Aranha e turma); Veríssimo, Todas as Comédias (Luiz Fernando Veríssimo); Pequenos Burgueses (Máximo Gorki); e Uma Vida para Contar (Edson Aranha e turma).

Av Norte, 2608 Sala 4 , Encruzilhada , Recife-PE | Cep: 52041-080