Conheça os vencedores do IV Experimentart

Desafios existem para serem superados. Seguindo essa máxima, Bárbara Estefanski, Mirelly Aparecida dos Santos, Luís Costa e José Neto, Eloysa Souza e Débora Manguinho venceram o frio na barriga e realizaram trabalho que já marcou suas promissoras carreiras no teatro.

Os jovens atores e atrizes em formação compõem o grupo vencedor da quarta edição do Experimentart e foram premiados em cerimônia na Hipérion, em 22 de outubro. Eles escreveram, produziram e encenaram o esquete totalmente autoral ‘Amor’.

A produção conta a história de Laura e Afonso. Ambos estão em uma cafeteria, sentem atração um pelo outro, cruzam olhares e sorrisos. Todavia, falta-lhes coragem para fazer o contato inicial. O que fazer? Então, entra em cena o Deus Eros, que dá aquela ‘ajudinha’ para que deixem a timidez de lado e avancem em direção ao romance.  “O texto foi o grande trunfo do grupo. É leve e situa-se na esfera do pensamento, do não dito”, analisa Adilson Di Carvalho, ator, professor de teatro e consultor do grupo durante o processo. Com efeito, ‘Amor’ explora, de maneira sutil, introspecções, linguagens gestuais, contornos expressivos e emocionais.

 O primeiro passo com o pé direito

Bárbara Estefanski, 22, foi a dramaturga, diretora e figurinista da produção. “Uma sensação maravilhosa” é como ela descreve a congratulação recebida. Para ela, é sinal de que está aprendendo. “Me sinto mais desenvolvida na área artística, e o prêmio me incentivou a seguir na arte e a escrever”, detalha.

Estefanski iniciou os estudos na Hipérion no início de 2018. Descobriu a escola na Internet, no fim de 2017, e participou de oficina de dramaturgia, a convite da escola. Gostou da experiência e se matriculou no curso de teatro, carreira que hoje é seu maior objetivo profissional.

Por sua vez, Mirelly Aparecida dos Santos, 18, fez o papel de Laura no esquete. Ela sempre sonhou em atuar no ramo artístico e, em abril de 2018, se matriculou na escola para, de uma vez por todas, “tomar isso como um caminho para minha vida”, conta.

Com apenas poucos meses de estudo, Aparecida dos Santos já tem um troféu para chamar de seu. “Esse prêmio representou muito para mim, foi mais um passo de muitos que terei de dar, me dedicando e dando o meu melhor sempre”, diz.

Como funciona o Experimentart

O Experimentart é um concurso da Hipérion realizado semestralmente. Atualmente na quarta edição, seu objetivo é permitir que os alunos montem obras teatrais de forma experimental e vivenciem a experiência de criar seus próprios trabalhos artísticos.     

Os inscritos no concurso formam grupos de até seis membros e têm como missão escrever, produzir e encenar um esquete que dure até 10 minutos. Nesta última edição, cinco grupos participaram do concurso.

Formadas as equipes, seus integrantes têm o desafio de atuar em pelo menos uma das funções na produção teatral: ator, diretor, operador de som, dramaturgo ou figurinista, entre outras.

Cada grupo conta com o apoio técnico e logístico da Hipérion e é auxiliado por um professor. Di Carvalho, que forneceu consultoria ao grupo vencedor, explica que seu trabalho “foi o momento de alinhavar, em função do texto, as intenções de interpretação, os elementos cênicos e a música”.

Fundamental, a sua orientação “se aprofundou na composição do cenário e das personagens, que reagiam expressivamente ao que acontecia na cena, buscando explorar o humor sutil presente no texto”, explica Di Carvalho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Av Norte, 2608 Sala 4 , Encruzilhada , Recife-PE | Cep: 52041-080